segunda-feira, setembro 15, 2008

Motown 50

Isso que é eleição que dá gosto! Para celebrar o 50º aniversário da Motown, a Universal lança no dia 1º de dezembro o álbum "Motown 50". E quem vai escolher as faixas que entrarão no CD será o público! É só votar através do site www.polltothepeople.com/motown50

domingo, setembro 14, 2008

El CSS del Ocho

Não tem como não amar essa banda...



+ aqui e aqui.

BlogLog

Mágoa de caboclo

segunda-feira, setembro 08, 2008

Amizádsi

Confesso que morro de ciúme quando amigos que apresento ficam bem amigos e não me chamam pros programas. Mas é pior ainda quando amigos que amo se estranham aí tenho que ficar "escolhendo" pra onde chamar cada um pra não ficar aquele climão. Gah, triste demais...

"Se lembra quando a gente era tudo amigo?", Caxabaxa

Lembra quando a gente se encontrava / à tarde em casa ou à noite na balada? / quase nada nos preocupava / era só se olhar, curtir e sonhar / agora você vem e me diz / nossa, como você anda sumido / lembra quando a gente era tudo amigo? / quase tudo era permitido / lembra quando a gente era tudo amigo? (4X) / tudu amigu! Lembraa / tudu amigu! Lembraa / de rolê no Charm, extender pro BH / o Pix virou treze e eu não sei mais quem vai lá / tá tudo estranho, tão esquisito / se lembra quando a gente era tudo amigo? / já bebi na Real, já devi pro seu Zé / lembra do Aeroanta, aquela pinga com mé... / eu sempre te pagava você nunca agradeceu / já devia saber, cê não era amigo meu / lembra quando a gente era tudo amigo?

quinta-feira, setembro 04, 2008

Olha aquele pontinho loiro lá longe...

Foda é ter guardado o dinheiro pra Pista VIP e só conseguir pra arquibancada por causa da incompetência alheia. Desejo que a Tickets4Fail morra (mas antes devolva as 24 horas que perdi online) e que o Fernando Altério broche na sua noite de núpcias com a Paula Raia. Mas benzadeus, tô contente mesmo assim! Obrigada, James, por ter agüentado as horas de fila no Credicard Hall.

Não fui no Girlie Show em 1993 pois era piveta e minha mãe provavelmente não deixou, haha (ter 16 anos há 15 anos era diferente de ter 16 anos hoje). Mas amo essa mulher desde meus nove anos de idade, quando ganhei o vinil de "Like a Virgin" nem lembro mais de quem (presente bizarro pra uma criança mas o guardo até hoje). Não consigo achar ruim nada que tenha o seu dedo, nem o "Hard Candy", nem o "American Life". Tá, talvez os filmes, vá! ;-)

Madonna e Michael Jackson são a base de toda minha vida pop. Com ela comecei a prestar atenção no trabalho de DJs e produtores. Seus CDs são os únicos que faço questão de comprar até hoje. Através de Michael conheci Motown e toda música negra pela qual sou apaixonadíssima. Como ele pirou, vou curtir o show da véia intensamente!

Arquibancada azul, é nóis!!!

Sim, estou completamente histérica com esse show! O Hector não agüenta mais meu descontrol, hahahahaha!!!

quarta-feira, setembro 03, 2008

Provincianismo digital acaba com o sonho Madonna

Antonio Prada

Em qualquer lugar do mundo é o mesmo. Bastou a confirmação dos shows da nova turnê de Madonna (Sticky and Sweet) e começou a corrida pelos ingressos. Na maioria dos países não há filas reais. A venda é exclusivamente via Internet, nada mais justo e apropriado em tempos digitais. No Brasil, país com maior tempo médio de navegação na web (24 horas e 54 minutos por pessoa) e que não vê ao vivo a cantora desde 1993, a história sempre é diferente.

Há postos de vendas físicos, para fazer com que obcecados fãs durmam noites e dias, virem fatos e fotos e ajudem a bater, de graça, o bumbo na mídia. Um truque viral de marketing que remonta a décadas nos melhores negócios do ramo.

No Brasil também nunca os melhores serviços de vendas on-line são utilizados em eventos de alta demanda, como o do U2 (lembram-se?). É sempre uma empresa de pequeno ou médio porte, geralmente alinhada aos interesses comerciais dos produtores (aliás, é um rentável negócio).

E aqui, frise-se, não se trata do tamanho da empresa, mas da capacidade de entregar com qualidade o que a demanda exige. Pedem cadastro antecipado, mas fazem questão de frisar que ele não garante o direito a nenhum ingresso. E não garante mesmo nada. Mas aqui vale outro truque do mercado: tudo pelo mailing. Do ponto de vista de quem o detém, significa mais dinheiro. Do ponto de vista de quem foi obrigado a se cadastrar, sonhando com Madonna, significa spams futuros.

O consumidor que se cadastrou com antecedência no site do serviço Ticketsforfun e passou os últimos três dias na frente do computador, repetindo passos, clicando, dando refresh, para tentar comprar um dos ingressos mais caros da turnê da cantora vai encerrar o calvário frustrado. Vai gritar e ouvir desculpas esfarrapadas, como sempre. Algumas delas, técnicas, e incompreensíveis. Pobre consumidor, destratado mais uma vez.

Para ver Madonna então, ou em Nova York (sim, se compra ingresso fácil ainda no paralelo e pela Internet, sem pagar muito), ou recorrer ao velho e irresistível cambista brasileiro. E já há vários, inclusive, oferecendo ingressos pela web. Já? sticky and sweet boy.

Fonte: Terra Música

Passei a noite em claro e até agora NADA! Não tenho como ficar na fila pois apesar de idolatrar a Madonna tenho mais o que fazer, até para conseguir pagar o ingresso caro depois. Fora que os cambistas invadiram geral, furaram as filas e ameaçaram os fãs. Morra, Tickets4Fun! Tomara que nenhuma outra turnê de grande porte passe por essa joça!